Prêmio Nobel de Física de 2021

Descobertas importantes no campo dos sistemas complexos recebem prêmio Nobel de Física

    Share

    Descobertas importantes no campo dos sistemas complexos recebem prêmio Nobel de Física

    O prêmio Nobel de Física de 2021 foi destinado aos cientistas Syukuro Manabe (EUA/Japão, à esquerda na imagem), Klaus Hasselmann (Alemanha, ao centro na imagem) e Giorgio Parisi (itália, à direita da imagem) pelas suas contribuições inovadoras na área de sistemas complexos.  Metade do prêmio foi dividida entre Syukuro Manabe e Kalus Manabe, pelo protagonismo destes pesquisadores na formulação de modelos físicos do clima da Terra que, na visão do comitê científico do prêmio Nobel, permitiram quantificar a variabilidade climática e uma predição confiável do aquecimento global. A outra metade do prêmio foi destinada ao físico italiano Georgio Parisi, pela descoberta das inter-relações entre desordem e flutuação em sistemas físicos desde a escala atômica até a escala planetária.   

    O prêmio Nobel teve como foco os sistemas físicos complexos, desde a escala experenciada pelos seres humanos, como o clima da Terra, até as estruturas microscópicas e a dinâmica de materiais comuns, mas intrigantes, como o vidro. Dessa forma, o comitê científico reconheceu que os cientistas hoje em dia entendem que a evolução de sistemas físicos complexos não pode ser prevista de modo único, com total certeza, e que sem compreender a origem da sua variabilidade não é possível compreender o comportamento desses sistemas físicos.

    Um dos exemplos mais ilustrativos e importantes de sistemas físicos com grande variabilidade é o movimento de fluidos turbulentos. A passagem de um fluxo laminar para um fluxo turbulento, por exemplo, caracteriza a passagem de um estado ordenado, previsível e estável, para um estado desordenado e variável, e a explicação detalhada dessa transição até hoje constitui um dos problemas mais desafiadores da física.  

    A natureza está repleta de fenômenos envolvendo a passagem de estados ordenados para estados desordenados. Esse tipo de característica ocorre nos chamados sistemas complexos, que são sistemas compostos de várias partes que interagem entre si e cujo comportamento coletivo não pode ser explicado simplesmente como a soma do comportamento das partes isoladamente. O estudo dos sistemas complexos não pertence apenas à esfera de interesse da física, mas mescla outras ciências, como a biologia, matemática, sociologia e economia, já que também sistemas biológicos e sociais exibem características emergentes e auto organizativas típicas dos sistemas complexos.   

    O Instituto Tecnológico de Aeronáutica conduz pesquisa nessa área, tanto no âmbito da pesquisa básica quanto no âmbito das pesquisas aplicadas na área de Engenharia. No programa de pós-graduação em Física, por exemplo, há uma área de concentração totalmente dedicada a esse campo do conhecimento, denominada Dinâmica não-Linear e Sistemas Complexos (FIS-C). Desde o seu estabelecimento, vários trabalhos com participação dos docentes e protagonismo dos alunos foram desenvolvidos na área de turbulência e caos na zona de convecção solar, na magnetosfera, na alta atmosfera e em plasmas de reatores de fusão nuclear.

    Mais informações sobre a área de FIS-C pode ser encontrada no link https://www.pgfis.ita.br/pt/post/dinamica-nao-linear-e-sistemas-complexos